10 DE DEZEMBRO | |

Rio Branco, AC

Giro Acreano no Facebook Giro Acreano no Twitter Giro Acreano no Google Plus Fale conosco
Publicado em 16/08/2017 - 13:05

Dificuldade financeira é a principal barreira para uma alimentação saudável, diz pesquisa

De acordo com pesquisa feita pela Proteste, 80% dos brasileiros querem mudar a alimentação, porém mais da metade aponta a falta de dinheiro como impedimento.

Da Redação,
Portal Giro Acreano

Segundo pesquisa, 80% dos brasileiros acreditam que poderiam melhorar a alimentação. Foto: Pixabay/Creative Commons

Os brasileiros não estão satisfeitos com seus hábitos alimentares, de acordo com uma pesquisa divulgada pela Associação de Consumidores Proteste nesta semana. Por meio de questionários online, 80% das pessoas pesquisadas revelaram que gostariam de mudar a alimentação em prol de uma vida saudável.

A Proteste enviou questionários para 2400 pessoas de todas as regiões do Brasil, com idade entre 18 e 74 anos, e foi calculado um índice de saúde baseado na frequência de consumo dos alimentos, das rotinas alimentares e da prática de atividade física.

De acordo com os resultados, apenas 4% dos participantes possuem hábitos saudáveis, enquanto 73% se saiu mal no índice. A pesquisa mostra que pessoas com menos de 30 anos e que estão com dificuldades financeiras são as que comem de forma menos saudável.

Por mais que a maioria das pessoas queira mudar a alimentação, muitos acreditam que há alguns obstáculos. A principal dificuldade, segundo os respondentes, é a falta de dinheiro, que afeta 57%. Já a falta de tempo foi a barreira citada por 36% dos participantes. Outros entrevistados (37%) ainda apontaram a dificuldade em resistir a alimentos pouco saudáveis e 28% acham muito difícil mudar os hábitos alimentares.

Outro dado apontado pela pesquisa diz respeito às mudanças já feitas na alimentação nos últimos dois anos. Cerca de 68% dos entrevistados disseram que mudaram seus hábitos nesse período, principalmente para prevenir doenças. Já nos últimos 12 meses, 43% dos entrevistados disseram ter feito dieta mas, destes, apenas 15% teve acompanhamento de um nutricionista ou nutrólogo.

Um resultado animador da pesquisa é que 83% dos entrevistados preparam suas refeições em casa de cinco a sete vezes por semana. Entretanto, 35% das pessoas disseram que diminuíram o consumo de peixe por dificuldades financeiras.

* Com informações do Estadão.


Veja também

Deixe seu comentário