10 DE DEZEMBRO | |

Rio Branco, AC

Giro Acreano no Facebook Giro Acreano no Twitter Giro Acreano no Google Plus Fale conosco
Publicado em 30/08/2017 - 10:59

Por unanimidade, STF extingue processo contra Major Rocha por participação na greve da PM

Para a PGR faltaram evidências de que deputado federal Major Rocha teria impedido a abertura do portão de um quartel, inviabilizando a entrada e saída de viaturas, como narrava a acusação do MPAC.

Da Redação,
Portal Giro Acreano

O Supremo Tribunal Federal (STF) absolveu por unanimidade nesta terça-feira (29) o deputado federal Major Rocha (PSDB) da acusação ofertada pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) por suposto crime militar de motim e incitação à desobediência na participação do então deputado estadual Rocha no movimento grevista de policiais e bombeiros em maio de 2011.

Rocha comemorou a decisão e disse que à época estava apenas buscando garantir uma solução pacífica para o movimento e sem conflito maior: “Mas o governo do Estado tentou me colocar como vilão e usou toda a estrutura da máquina pública para tentar me atingir criminalmente. Contudo, o STF fez a justiça e me inocentou”.

A decisão dos ministros da Primeira Turma – Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa Weber e Marco Aurélio Mello – não viu provas na acusação feita pelo MPAC, pois a própria Procuradoria Geral da República (PGR) já havia pedido a absolvição.

PGR contraria MPAC e não vê crime

Para a PGR faltaram evidências de que deputado federal Major Rocha teria impedido a abertura do portão de um quartel, inviabilizando a entrada e saída de viaturas, como narrava a acusação do MPAC.

“Isso mostra que ainda existe lisura nas Cortes e nas instâncias superiores deste país, cujas ações reparam injustas acusações e onde o único objetivo é atingir politicamente quem procura estar do lado dos servidores”, destacou.

O deputado federal Major Rocha salientou nunca ter duvidado da absolvição e tampouco do uso político dos fatos, complementando: “Quando o fato ocorreu eu era deputado estadual e o governo do Estado quis apenas manchar o meu nome, mas o STF restaurou a verdade”.


Veja também

Deixe seu comentário