17 DE NOVEMBRO | |

Rio Branco, AC

Giro Acreano no Facebook Giro Acreano no Twitter Giro Acreano no Google Plus Fale conosco
Publicado em 28/07/2016 - 14:59

Banco da Amazônia movimenta mais de R$ 30 milhões durante a ExpoAcre

Tião Viana prestigiou o evento de liberação de créditos e reforçou que seu governo está voltado ao desenvolvimento agroindustrial do Acre

Samuel Bryan,
Agência de Notícias do Acre

secom_acre_SV_2016-13-4

O Banco da Amazônia realizou na manhã desta quinta-feira, 28, no Campus do Agronegócio da Expoacre 2016, a liberação de R$ 17,8 milhões em operação de crédito e cessão de equipamentos na área do agronegócio.

Durante toda a feira, o banco já tem em estudo 50 propostas, movimentando até agora durante a feira R$ 30 milhões.

O governador Tião Viana esteve na solenidade e reforçou que o objetivo de seu governo é alavancar o desenvolvimento das cadeias produtivas do Acre, sendo a Expoacre uma vitrine para o setor, com o Banco da Amazônia sendo um dos maiores parceiros no impulso à economia.

“Essa união entre campo e cidade, entre os trabalhadores da produção rural e da indústria, falando em economia com base diversificada, no desenvolvimento das cadeias produtivas e unindo todas as experiências, tem gerado um ambiente de resistência à crise e prosperidade rural no Acre. Isso nos dá esperança, e o Banco da Amazônia é sempre fundamental a nos ajudar nisso”, disse o governador.

Em visita ao estado durante a Expoacre, o presidente do Banco da Amazônia, Marivaldo Mello, ressaltou a importância da feira organizada pelo governo e os investimentos no setor produtivo que o Acre tem realizado.

“A Expoacre sempre foi uma vitrine do agronegócio. O Acre precisa ampliar sua produção porque todos os estados que têm essa base estão conseguindo suportar melhor esse momento difícil da economia. E é importante que o banco esteja presente como agente financeiro do governo federal na implantação de créditos”, conta Mello.

Do pequeno ao grande

Os investimentos de crédito e equipamentos liberados pelo Banco da Amazônia atenderam desde pequenos a grandes produtores. Entre aqueles da agricultura familiar, Antonino Torres é um produtor de hortaliças e peixes do ramal Quixadá que levava sua produção de ônibus para comercializar na capital. Com o crédito liberado, consegue agora o veículo, que fará toda a diferença.

“Carregava minha produção em ônibus e moto, mas agora, com esse projeto aprovado, vou poder trazer tudo de carro e levar mais coisas. Às vezes até perdia o produto por ter um limite, né? Só tenho que agradecer ao banco e ao governo, e agora trabalhar para pagar”, brinca Antonino.

Já de Manoel Urbano, Obed Adon recebeu um apoio especial do governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Agricultura e Pecuária (Seap) e do Banco da Amazônia, para finalmente implantar um negócio de derivados de leite. Durante o evento, ele não escondeu sua satisfação:

“Antes era um funcionário da prefeitura de Manoel Urbano, mas então eu e minha esposa resolvemos acreditar na produção da pecuária de leite, e com a ajuda do nosso governador e da equipe do Banco da Amazônia, hoje, com nossa pequena produção, já tiramos salários melhor que antes.”


Veja também

Deixe seu comentário